2018

Instalação:

Estrutura metálica e letreiro (400 x 200 cm)    

1/7

Todos vão saber: em aparência simples, essas três palavras transmitem múltiplos significados possíveis, e seu conteúdo depende inteiramente da interpretação dos passantes na rua. Intencionalmente afirmativo em sua formulação e vago em sua referência, o letreiro age como um gatilho de processos afetivos na mente do espectador. Para dar sentido à frase, este deverá perguntar-se: “O que é que eu não quero os outros saibam? E por quê?” Mas principalmente: “Quem são esses outros?” E ainda: “E quem sou eu para eles?”

Ainda que essas respostas individuais permaneçam em silêncio, a não reação diante da obra é também significativa. Pois esse mergulho subjetivo implica uma tomada de consciência do sujeito, de sua dependência em relação a uma comunidade (seja ela geográfica, cultural ou linguística), da qual justamente esconde algo. É o que pode ser chamado de “paradoxo do segredo”: para que algo seja realmente secreto, é preciso não apenas que alguém oculte algo, mas também que outras pessoas suspeitem de tal ocultamento. Ao contrário do que se poderia imaginar, segredos não são objetos privados, mas públicos, e seus efeitos dependem da possibilidade de sua divulgação. Não há segredos, não importa o quão íntimos sejam, de que outros não possam se inteirar.

Todos vão saber foi a obra inaugural do programa de arte urbana Intervención en la Valle, da residência artística Lugar a Dudas, em Santiago de Cali, Colômbia.