2014 - 16

Em colaboração com Francisco Galán

 

Instalação:

Vinil adesivo, fotografias em quantidades e formatos variáveis, antena de cobre e receptor analógico, computador com programa, e caixa de som com ruídos de estática e documentos vários
(dimensões variáveis).

Série fotográfica:

09 impressões fotográficas em jato de tinta sobre papel fotográfico de 20 x 30 cm cada.

Fotografia:

Impressão em jato de tinta sobre papel fotográfico (80 x 53 cm).

1/13

Com uma antena, sair da linguagem e do sentido. Com um botão, gerar uma nova geração.

 

Tais eram as diretrizes da obra investigativa que apresentei na mostra final do Programa de Artistas Di Tella, de Buenos Aires, em 2014. Tomando como ponto de partida a contingência de minha própria admissão, propus a criação de um método alternativo de seleção de candidatos, que pudesse substituir o caráter arbitrário inerente a todo processo seletivo (escolha) pela pureza do aleatório (não escolha). E assim produzir, de forma randômica, outras gerações de artistas e curadores, paralelas à oficial.

Para tanto, contei com ajuda de Francisco Galán, artista e programador, para organizar uma expedição em busca do único fenômeno conhecido que aparenta não obedecer a qualquer tipo de padrão: o dito “ruído branco”, uma frequência aleatória composta pela soma aleatória de múltiplas interferências de baixa intensidade (sinais atmosféricos, eletromagnéticos, estática etc.). O processo total envolveu ainda a criação de um aparato caseiro composto de transistores, resistências e capacitores conectados a uma barra de cobre para a captação desta frequência, a qual só se encontra em sua pureza na natureza, e de um programa de computador para a interpretação desses dados, conformando-os automaticamente às exigências administrativas da instituição, criando assim mais de 550 listas alternativas de selecionados no Programa daquele ano.

Quantas gerações pode haver em um único ano? Mais além da crítica a um sistema de seleção em particular, ou de uma reflexão abstrata sobre o acaso como forma de suspensão do julgamento, esta foi uma tentativa concreta de utilizar a legitimação institucional na criação de novos possíveis históricos.