2017 - 18

 

Instalacão:

conjunto de 250 stills fotográficos no formato

20 x 30 cm, papel fotográfico, painel em vinil adesivo (dimensões variáveis), faixa de audio estéreo (4:00:00’ em loop), 3 vídeos digitais (respectivamente 00:36’, 01:18’ e 01:46’ em loop), objetos variados e uma fotografia impressa em papel de algodão (150 x 100 cm)

Objeto: 

caixa de aço carbono com serigrafia contendo 50 stills + ploter em dimensões variáveis

1/28

(Still) Brazil é uma investigação sobre a representação do Brasil em outras culturas, tal como o país aparece fixado em obras

cinematográficas. A obra reúne 250 stills de uma lista de quase 1.000 filmes de ficção produzidos e rodados no exterior nos quais as palavras “Brazil” e “Brazilian” aparecem de forma pontual, sem nenhuma importância real para o desenrolar das tramas.

O caso paradigmático é Brazil (1985), de Terry Gilliam, obra distópica de ficção científica sem qualquer relação com o país, a não ser pelo tema recorrente de Aquarela do Brasil, de Ary Barroso. Mais do que em documentários “sérios” sobre o país, são nessas pequenas referências, aparentemente sem importância, perdidas em diálogos fictícios, que se encontram as verdadeiras imagens inconscientes do exotismo. Distante no tempo e no espaço, o Brasil serve de avesso para todos esses filmes, como um buraco negro nos roteiros, para os quais todas as promessas, sonhos ou fugas de seus personagens são

mandados para nunca se realizar.

(Still) Brazil foi também pensada como um filme, em que cada parte explora (e separa) uma faceta cinematográfica: 

- Still: conjunto de capturas de tela de 250 filmes nas cenas em que o Brasil é mencionado, com legendas em suas línguas originais.

 - Ficha técnica:  lista com o título, o diretor, o ano, a nacionalidade e as minutagens exatas em que as palavras “Brazil” ou “Brazilian” aparecem em 877 filmes, em ordem alfabética.

- Trilha sonora: compilação de 80 versões estrangeiras de Aquarela do Brasil, composta por Ary Barroso em 1939, em diferentes línguas e ritmos exceto, respectivamente, em português e samba.

- Vídeo: edição dos filmes Terra em Transe (1968), de Glauber Rocha, Macunaíma (1969), de Joaquim Pedro de Andrade, e Os mercenários (2010), de Sylvester Stallone, todos filmados no prédio que hoje abriga a Escola de Artes Visuais do Rio de Janeiro. Retirados todos os elementos de suas narrativas ficcionais — como rostos, diálogos, som — restam apenas fragmentos soltos de arquitetura do Palacete, com vistas alternadas da piscina, fachada, colunas, portas e salões.

- Cancioneiro: conjunto de objetos remetendo ao personagem Zé Carioca, criado por Walt Disney em 1942,  incluindo a partitura original do desenho animado Saludos, Amigos! com tradução ao inglês de Aquarela do Brasil.